Fig.1: Imagem do jogo CS:GO

Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO) é um jogo multiplayer online, na modalidade tiro em primeira pessoa, altamente imersivo, que vendeu pelo menos 200mil licenças no Brasil em 2015. 

As configurações mínimas para rodar o jogo são pelo menos 2gb de memória; placa gráfica Shader 3.0, Nvidia GeForce 8000 séries ou ATI Radeon 3000 séries, com DirectX9; processador Core 2 Duo E6600 ou AMD Phenom X3 8750. 

Considerado oficialmente um Esporte Eletrônico, os campeonatos costumam ser transmitidos em plataformas de Stream, como Twitch e You Tube, ganhando cada vez mais espaço no Facebook e em canais de tv, como Sportv e ESPN. Em 2018 estimava-se que cerca de 18% dos fãs apenas assistiam os jogos, enquanto o público total de adeptos só no Brasil passava de 20 milhões de usuários, representando a 3º maior fatia desse mercado no mundo. 

A mistura de competitividade, a superação de desafios em equipe, a oportunidade de jogar em rede contra pessoas reais e a emoção da caçada um contra o outro justificam essa base de fãs, em um mercado global que estima movimentar até 2022 cerca de U$1,8 a U$3 bilhões.

 

Normalmente, as equipes amadoras fazem treinos regulares quando próximas das competições, mas raramente possuem uma gestão estruturada e os jogadores, quando possuem contrato, nem sempre são cumpridos ou se consegue manter um ritmo de seriedade com uma visão por temporadas. Essa é o princípio das dificuldades para estas equipes amadoras, que precisam muitas vezes buscar resultados e evolução nos números, mas manterem uma escalação ou dedicar-se em uma sequência de jogos como exige a cena. 

Equipes profissionais por sua vez, possuem pelo menos um coach, um analista, equipe titular e reserva com contratos assinados, cronogramas de treinos baseados em melhorias individuais e coletivas, buscando evoluir em sua forma de pensar o jogo, os adversários, a si mesmo como atleta, inclusive com supervisão psicológica e nutricional, maximizando a qualidade da ação que pode chegar a até 10 ou 12 horas de treinos diários, seja em uma gaming office ou gaming house. 

 

Formando um time de CS:GO a "la Blackfish Team" - 1º Temporada

Sabendo-se que leva-se anos para se consolidar no CS:GO como um player de alto rendimento e que mesmo havendo farta informação na internet nem todos conseguem desenvolver-se sozinhos, a decisão foi por pavimentar o percurso de “Noob do zero” a “Atleta Intelectual de Alta Performance”, replicando as melhores práticas obtidas pelo aprendizado com quem já está em ação e com a gestão de resultados desenvolvida em outros esportes eletrônicos, especialmente o poker online. 

Realizando o Benchmarking com os devidos ajustes para encontrar um caminho saudável e em longo prazo, conseguimos implementar uma evolução gradativa e contínua das habilidades necessárias para ser vencedor, o que no CS: GO podemos resumir por eficiência no uso das armas e na locomoção pelos mapas, assertividade no trabalho em equipe e autogestão com desenvolvimento de pensamento pró-alta performance (PPAP).

O objetivo deste tópico é permitir mesmo aos adeptos mais jovens ou entre aqueles que encontram na prática apenas uma oportunidade para o neurofitness, sem o desejo prioritário de configurar entre os melhores, desenvolver resultados cada vez mais sólidos partindo do zero, estimulando a prática deste esporte por aqueles que ainda estão se apaixonando pelas competições, construindo resultados em fases.

O BFT:CS realizará em sua primeira fase, por todo 2020, uma visão 1×1 que será expandido para a visão equipe 5×5 em 2021, construindo um time titular e outro reserva (10 players) em 2022, possibilitando a formação de um Time B (de formação, como uma base no futebol) a partir de 2023, dando ao time uma visão estruturada e comercial no mundo dos e-Sports, com caminho planejado para todas as idades desde os primeiros passos.

Os que seguirão o projeto devem saber que o mesmo possui visão em longa duração, com ciclos longos de 3 anos, os quais resumimos as informações mais relevantes, permitindo uma releitura de todos os eventos, maximizando as perspectivas de evolução e destaque dos aspectos mais relevantes, inclusive das bases do projeto.

É o começo da temporada e de um programa focado em jogadores que já jogavam o CS em quaisquer de suas versões e decidiu brincar agora com maior seriedade, encarando-o como um neurofitness ou mesmo como esporte intelectual de alta performance competitiva. Começo de um novo ano sempre é uma boa oportunidade para evoluir em organização e planejamento do melhor caminho para chegar onde se deseja, embora não devamos esquecer que possamos fazer isso a cada manhã. 

Não é novidade que todos os dias temos uma nova oportunidade para recomeçar e voltar a andar em alto nível. Mas é importante relembrar isso, visto que o caminho para a alta performance não é em linha reta e um dos grandes erros que se comete é esperar demais para voltar ao caminho da disciplina quando saímos do foco. Não espere pelo próximo mês… Amanhã já pode ser o suficiente. Comprometa-se consigo!

Superada esta fase, mergulhe e não apenas molhe os pés!

O mercado do CS:GO já nos oferece a possibilidade de montar times com jogadores do mesmo nível e objetivo (<https://vs.com.br/artigo/csgo-site-possibilita-montar-times-com-jogadores-de-mesmo-nivel>), mas o objetivo inicial do Blacksifh Team é seguir por uma caminhada mais sólida (técnicas/habilidades), utilizando o CS:GO como carga complementar ou neurofitness, em um pacote de atividades maior e formatado para atender as necessidades pessoais de pessoas comuns.

Estudos revelam que jogos de tiro em primeira pessoa melhoram a performance em tarefas que exigem atenção e percepção, com benefícios podendo durar em média 6 meses após as cargas de treinos, devido a intensidade dos jogos de ação, que obriga o rápido movimento dos olhos e processamento de informações, estimulando a capacidade de observar e reagir a eventos simultâneos quase que por instinto. 

No entanto, é importante atenção na qualidade da rotina diária e até mesmo supervisão psicológica para aqueles que desejam praticar com intuito competitivo/profissional, visto que o neurofitness promove mudanças físicas no cérebro e, como os jogos de tiros são dotados de violência, quando  jogados em excesso podem causar alterações no hipocampo, podendo levar à somatizações em forma de perda da memória ou mesmo depressão. 

Atletas de e-Sports podem praticar por mais de 10 horas diárias! Por isso é tão essencial a participação de um psicólogo quando a decisão é por “prática em alto nível”.

O que era brincadeira no passado agora é coisa séria! Virou esporte e com potencial para tornar-se evento de abertura dos jogos olímpicos organizados pelo COI.

Continue lendo:

1. Jogos de tiro fazem bem ao cérebro. <https://www.tecmundo.com.br/video-game-e-jogos/66067-jogar-games-tiro-primeira-pessoa-benefico-cerebro-diz-estudo.htm>

2. Riscos dos jogos de tiro ao cérebro, <https://www.tudocelular.com/jogos/noticias/n98124/estudo-jogo-tiro-faz-mal-ao-cerebro.html>

Aqui é o começo de tudo. 

As atividades são desenvolvidas considerando um jogador recreativo, que nunca treinou sério ou com foco em competições oficiais, mas que deseja iniciar um programa de crescimento como atleta intelectual.

Para ser um atleta intelectual vencedor e constante em longo prazo deve-se considerar alguns fatores importantes:

1. A vida precisa ser encarada como um “antes de sentar para jogar”, um “jogando” e outro “depois de jogar”.

O jogando é fácil! Basta focar nos aspectos práticos, como jogabilidade e pensamento estratégico.

O pré-jogo deve ser composto por um longo check list, que inclui verificação das condições físicas, emocionais, relacionais, profissionais, acadêmicas e qualquer outra até 1 hora antes de sentar para jogar.  No CS:GO, se vai iniciar os treinos às 14h, recomenda-se às 13h já estar logado e atento a pequenos problemas com máquina ou internet, além de aquecer em alguma partida casual ou mesmo no servidor local.

Pratique o autoconhecimento para além da cor dos seus olhos. Para alguns, 15 minutos no Deathmatch serão suficientes para aquecer e entrar numa partida competitiva. Outros necessitarão de pelo menos uma hora no servidor local, para alcançar concentração máxima no jogo e chegar ao tempo de resposta ideal para responder aos dinamismos dos treinos (cuidado com a LER!). 

Isso também vale para outros esportes intelectuais, como xadrez ou poker. Não basta copiar a “receita de bolo”, mas ver o que funciona para a realidade de cada um.

Em jogos ao vivo, mesmo os mais amadores, nunca chegue e vá direto para a ação!  Respira, toma uma água, observa e sente o ambiente! Encontre os conhecidos, faça novos contatos, sorria, divirta-se mesmo com a pressão da competição… Só então vá para a ação!

Como toda maratona começa com o primeiro metro, o segredo é não negligenciar nada tido como básico e seguir evoluindo até o mas alto patamar possível. Digo possível porque nem todo mundo sabe até onde realmente pode ir. Muitos desistem na primeira dificuldade, outros fracassam por buscar atalhos, fórmulas mágicas que não existem. São apenas falsas moletas para justificar maus resultados. Enquanto alguns evoluirão muito rápido ao alto nível, outros passarão anos jogando como verdadeiros iniciantes. E tudo bem, desde que de acordo com seus objetivos.

Nessa hora os processos de pós-jogo te ajudam a alcançar o autoconhecimento. Como você se sente após as partidas? O que o esportes eletrônico representa para você? O que falta para alcançar seus objetivos? O que pode ser feito em curto, médio e longo prazo para chegar aos resultados? Quais erros você comete no jogo e percebe que comete erros da mesma natureza em outras áreas da vida?

O pós-jogo te convida a ir além, a desenvolver-se como atleta e indivíduo, conduzindo não apenas ao desenvolvimento de habilidades do jogo, mas também a autogestão.

2. Você precisa de todo o corpo, em especial o cérebro, para ousar competir em um esporte intelectual.

Como em qualquer esporte ou mesmo numa vida comum de estudante, não dá para imaginar bom rendimento sem uma boa alimentação (balanceada e recomendada por especialista), noites de sono adequadas e reparadoras, com uma rotina semanal mais próxima das atividades físicas que das drogas ou de ambientes insalubres.

O apoio de profissionais da área da saúde fazem toda a diferença, em especial psicólogos, ortopedistas, fisioterapeutas e educadores físicos. Mesmo com todo o conhecimento e dicas existentes no Google, nada substitui o impacto trazido por um bom profissional “técnico e responsável”.

(em construção)

Ciente de toda a complexidade por trás de jogar um simples CSZINHO, vamos a uma proposta de trilha de desenvolvimento semanal partindo do quase zero.

>>>> TRILHA DA SEMANA 1 <<<<

Processo: Explorar a jogabilidade do CS experimentando e encontrando 1-3 armas favoritas.

Realizar como o exemplo abaixo:

1. Arma escolhida: Categoria: Pesada/ Nome: NEGEV 

Pontos Positivos: Muitos tiros (300 em 2 estojos de 150 tiros), boa para combate à distância, sustentando posições.

Pontos Negativos: A arma tem um tranco forte, de forma que é adequado baixar um pouco a mira, até o nível das pernas para acertar a cabeça. Atrapalha a corrida por ser pesada  é melhor usada combinada com granadas.

2. Arma escolhida: Categoria: Pistola/ Nome: Bereta Dupla 

Pontos Positivos: Muitos tiros (120 em 4 estojos de 30 tiros), não atrapalha a corrida, boas para ambientes pequenos.

Pontos Negativos: É tenso enfrentar metralhadoras e rifles com pistolas (psicológico), além de transparecer alguma limitação, o que fortalece emocionalmente o adversário com uma submetralhadora.

Para explorar a jogabilidade e experimentar as armas só há um jeito: jogando o máximo de partidas possíveis no CS!

Isso é importante não apenas para aprender a jogar e pensar o jogo, mas também:

1. Para revelar as primeiras estatísticas do jogador, como precisão da pontaria, constância nas partidas, mortes realizadas/mortes sofridas, entre outros números que são gerados automaticamente durante a partida e que são essenciais para pensar o jogo para além do clique impulsivo e no susto ou só para desestressar. 

2. Começar a memorizar os mapas e entender os melhores lugares e armas para lutar em cada um. A visão por mapa e armas guia parte considerável das análises técnicas do jogo.

3. Começar a conhecer-se como jogador, lidando com o tilt quando o mesmo player te mata seguidamente ou quando é cortado de alguma equipe por não ter as skills necessárias em um olhar superficial do time, além da percepção própria de curvas de aprendizado e rendimento. 

Com cerca de 40 horas já é possível ter as primeiras impressões técnicas do player, embora nem todos consigam dar esse ritmo em uma semana. Como em qualquer esporte, o ritmo sempre dependerá do atleta!

Processo: Continuação do processo de exploração do jogo e busca por pelo menos 40 horas jogadas para analisar as primeiras estatísticas do jogador. Tentar perceber as diferenças observando os jogadores aliados e adversários, e encontrar uma função favorita no CS:GO 5×5. Ampliar a habilidade de locomoção e agilidade, mesclando ataques em áreas e com armas duplas. Para quem já alcançou as 40 horas semanais é o melhor momento para dar continuidade em ritmo forte, mantendo a regularidade e o nível o mais próximo de 40 semanais, que seria uma rotina profissional. Entre 10 e 30 horas temos ritmos de nível amador, enquanto os níveis abaixo de 10 se encaixam no modo recreativo.

Compreendendo melhor as funções: <https://www.youtube.com/watch?v=uxwJIT2-UFw>

Breve Resumo das Funções

Suporte: Braço direito

AWPer: Tira vantagem de sua arma (AWP) de precisão em longa distância. 

Entry Fragger: Abre os espaços e passa informação (por rádio) de onde estão os inimigos. 

Trader: Entra ao lado do entry fragger e conclui a ação caso ele seja morto.

IGL: Faz a leitura do jogo e tenta definir uma estratégia para o time.

Coringa: Sempre atento, dá reforço nos “bombs” A ou B, conforme a necessidade.

Solo Bomb: Fica de prontidão sozinho em um dos bombs. 

Lurker: É o elemento surpresa, que conhece bem os mapas e tenta pegar os inimigos de costas, desprevenidos. 

Durante a partida, os jogadores podem e fazem mais de uma função.

Normalmente e principalmente em jogos casuais, costuma-se adaptar-se ao ritmo do grupo, buscando sempre que possível jogar a melhor posição para si. Isso pode ser melhor organizado em equipes que usam bem os (micro)fones. 

Em jogos profissionais ou em equipes organizadas há a figura do líder, que costuma organizar o time, sinalizando erros e também orientar estratégias, amparado pelo olhar observador.

Resumo de Atividades Realizadas

1. Avanço na coleta dos primeiros dados do jogador, alcançando 8-10 competições na GC.

2. Primeiras sessões no Deathmatch, como esforço para calibrar a pontaria e a mobilidade. 

3. Execução da primeira visão de melhoria contínua implementada, com definição de uma rotina básica de ação.

4. Começo do estudo organizado de tópicos por mapa e por tipos de arma.

  • Vídeos de introdução ao Mirage com boas práticas para os bombs A e B, tutorial das melhores e mais usadas granadas, além de exposição das posições do mapa. Recomendado revisão e muita prática para memorizar.

 

Focos específicos

Mapa: Mirage

Armas: Pistolas e Granadas

Esqueleto da rotina implementada na 3º semana com 10 horas semanais

Atividade 1: Assistir vídeos técnicos sobre mapas (foco em conceitos e dicas avançadas) – 30 minutos – Ciclo diário.

Atividade 2: Ação Deathmatch (foco em pontaria, mobilidade e memorização de mapas) – 15 minutos – 6x/semana

Atividade 3: Ação casual Valve (corrida de pontos de patente, social) – 30 minutos – Ciclo 4x/semana

Atividade 4: Ação Competitiva GC (corrida de estatísticas, social, prática de novas habilidades) – 1 hora – Ciclo 2x/sem

Atividade 5: Ação competitiva Valve (Ação oficial) – 1 hora –  1x por semana.

Resumo das Atividades Realizadas

Treino 1 – 2h

  • Vídeo de Introdução Tática ao Mapa Mirage – 10 minutos
  • Treino Deatcmatch – 10 minutos
  • Partida GC Competitivo Casual – 1 (Derrota)
  • Introdução ao Mapa Dust II com Partida Valve – Casual Dust II – 1 (Derrota)
 
 Treino 2 – 2h

  • Treino Deathmatch – 5 minutos
  • Partida Casual Valve – Dust 2 (1 derrota)
  • Introdução aos códigos e treino em console – Mapas Mirage e Dust 2

Treino 3 e 4 – 16h

  • Imersão no servidor local via console praticando os Mapas Mirage e Dust 2
  • Prática casual Valve – Mirage e Dust 2

Perfil do Jogador-Piloto do BFT-CS EM 2020 (Referências Técnicas)

1. Completo Noob no game, com pouco mais de 30 horas registradas no Steam (Dados de 18-jan-20), tendo 14 conquistas de 137. Patente: Soldado(Nível 4) – Pontos: 3114, restando para a próxima promoção 1886. 

No Gamersclub (GC), as primeiras estatísticas (em 17/01) mostram números de partida comuns a um iniciante, mas  essenciais para dar início aos processos de melhoria contínua.

*KDR (Mortes Causadas/Mortes Sofridas): na

*ADR (Dano médio causado): 6,3

*KAST (Constância do jogador): 22%

*Precisão: 3%

2. Tempo disponível para treinamento: 1 hora por dia num total de 6 horas semanais. O mesmo tempo que um estudante teria para fazer uma atividade de descompressão com video-game ou o tempo que duraria uma atividade de neurofitness, programa para 2 ou 3 vezes por semana, como parte de um processo de aprimoramento cognitivo.

3. Formação do jogador: Estudante.

4. Resultados Finais – Janeiro/2020 – BFT-CS

Aguardando…